Minha casa, Minha cara

Quer sair na frente na decoração da casa? Então aposte nas tendências indicadas pela WGSN

Cristiane Teixeira

Por: Cristiane Teixeira

O tom fresco e esmaecido de verde dominará as passarelas e as casas na virada da década, segundo a WGSN, empresa que lidera o setor de tendências de consumo e design no mundo.

Ainda não deu nem tempo de saber se no Brasil o nome da cor será traduzido ou não, porque a informação acaba de ser divulgada. Mas, quer seja chamada de neo mint ou novo menta, o que os especialistas da WGSN explicam é que a tonalidade é neutra em termos de gênero, ou seja, pode ser usada por mulheres e homens, e alinha natureza com ciência e tecnologia. Esse tom, segundo a consultoria, oferece uma sensação tecnológica moderna e futurista, mas também se conecta com a vida vegetal e a natureza – grandes preocupações para a humanidade atualmente.

Projeto de 2016 do escritório Gaztelu Jerez Arquitectos para uma casa na Espanha. Foto: Javier Bravo Jabato/Gaztelu Jerez

“Eu já vi a cor neo mint surgindo em marcas mais novas e, daqui a alguns anos, ela vai começar a se infiltrar em lojas de rua. Como todas as tendências, ela irá evoluir e crescer”, afirma Jane Monnington Boddy, diretora de cores da WGSN, lembrando que o rosa millennial, dominante entre as marcas de design que participaram dos recentes eventos do setor em Milão, começou a aparecer em 2011.

Foto: Reprodução do WGSN

Além do neo mint, a consultoria anunciou outras matizes que devem ser muito frequentes em 2020: azul puro – um pouco mais claro-, cassis – uma mistura de roxo e rosa -, cantaloup – alaranjado leitoso – e mellow yellow – que seria um amarelo mais queimado.

Clínica de acupuntura no Japão, criada pelo estúdio de design id inc. Foto: id inc
Restaurante em Londres assinado por Sella Concept. Foto: Nicholas Worley

Casa no México assinada por Rafael Moneo. Foto: Adrián Llaguno

Escola nos Estados Unidos projetada pelo estúdio Architecture + Information. Foto: Magda Biernat

Proposta do Studiomama para a instalação MINI Living, na Design Week de Milão/2018.

Adaptação de uma escola em casa feita na Bélgica pelo Atelier Vens Varbelle. Foto: Tim Van de Velde

Casa nos Estados Unidos projetada em 1964 por Emil Tessin. Foto: Bob Coscarelli
Projeto do Wutopia Lab para a Bienal de Urbanismo e Arquitetura 2017, na China. Foto: CreatAR Images (AI Qing)
Farmácia nos Estados Unidos assinada por Sergio Mannino Studio. Foto: Charlie Shuck e Sergio Mannino Studio
Casa em Portugal reformada pelo Fala Atelier. Foto: Ricardo Loureiro
Loja na Espanha criada pelo escritório Ciszak Dalmas. Foto: Asier Rua
Loja com projeto de Eduard Eremchuk’s, na Rússia. Foto: Inna Kablukova
Apartamento na Espanha reformado por Colombo and Serboli Architecture. Foto: Roberto Ruizf

Comentários não estão permitidos.