Minha casa, Minha cara

Uma reforma fez de um acanhado predinho no Vietnã uma cafeteria cheia de soluções sustentáveis.

Cristiane Teixeira

Por: Cristiane Teixeira Fotos: Nguyen Thai Thach/Reprodução do ArchDaily

O Koi Café é uma pequena joia esculpida em materiais disponíveis nas imediações de Hanói, capital vietnamita. Os principais são as peças cerâmicas vazadas que formam a fachada dupla e as telhas que foram agrupadas para compor a parede interna dos fundos. Essas duas superfícies, trabalhadas de modos tão diferentes, lembram as escamas de um peixe. Pois ‘koi’ significa carpa, o colorido peixe ornamental característico do Japão.

Na reforma entabulada pelo Farming Architects, a construção de 88 m² incorporou o aço para sustentar a nova fachada, mas a estrutura metálica passa quase despercebida tamanho o impacto visual dos elementos cerâmicos e dos pallets antigos transformados em forro, móveis e divisórias de ambientes. Se o pallet não serve mais ao transporte de mercadorias, por que não dar a ele uma segunda vida na decoração, não é mesmo?

O frescor e a iluminação naturais proporcionados pela fachada toda furadinha são amplificados pelo pátio interno repleto de água e vegetação, outra grande surpresa para quem entra no café. Num sistema autossustentável conhecido como aquaponia, ocorre o casamento entre a piscicultura e a hidroponia.

Não entendeu nada? Então… o melhor jeito de explicar a aquaponia é dizer que peixes e plantas são cultivados juntos. Enquanto os excrementos dos peixes oferecem nutrientes aos vegetais, estes filtram a água onde os peixes se esbaldam. No caso deste projeto, uma cascata responde pela circulação da água entre os jardins suspensos, o aquário e o tanque de carpas. Entre as plantas, várias são comestíveis e acabam entrando na dieta dos funcionários do café.

São ou não são muito legais a aquaponia e o Koi Café?

Da arquitetura para a decoração

O projeto do Koi Café se traduz, na minha imaginação, em dois nítidos padrões gráficos. Por um lado, vem a superfície vazada, com orifícios que pendem para os formatos arredondado e oblíquo. Por outro lado, fica igualmente bem marcada a sequência de tiras de madeira com estreitos intervalos entre si, lembrando um deck.

E foi procurando peças que seguem esses padrões que naveguei entre milhares de opções da Oppa e da Meu Móvel de Madeira. Aqui eu registro as minhas preferidas!

Começo a seleção pelos itens que, para mim, fazem lembrar a fachada do Koi Café.

Cadeira Peti, da Oppa. Assinado pelo designer Guto Índio da Costa, este modelo prima pela ergonomia!

Cadeira de Balanço Comoditá, da MMM. Em cada lateral da peça, as pernas se unem, formando dois grandes vãos com a base curvilínea, o segredo do balanço.  

Luminária Pendente Nina, da Oppa. A cúpula é feita de chapa de aço carbono perfurada e pintada de verde.

Cesto de Sapé, da Oppa. Tramas vazadas de fibra natural figuram entre os mais belos artesanatos brasileiros.

A seleção prossegue com itens que se aproximam visualmente dos elementos do Koi Café feitos ripas de pallets.

Kit de Pallets para Sofá, da MMM. Não poderia faltar, né? Quatro unidades, colocadas lado a lado e empilhadas, formam a base sobre a qual você pode colocar futon e almofadas da sua escolha.  Espia aqui como montar:

Mesa Guaporé, da Oppa. Com 1,60 x 0,85 m, ela é perfeita para a varanda.

Baú Xirú, da MMM. Guarde o que desejar dentro desta peça resistente, produzida em eucalipto.

E assim eu encerro esta viagem do Brasil ao Vietnã e do Vietnã de volta ao Brasil!

Comentários não estão permitidos.