Minha casa, Minha cara

Chegou a hora de dizer tchau pra alguns objetos de casa!

Guest post: Habitissimo | Fotos: MMM – Reprodução

Não há como negar: existem alguns móveis e objetos pelos quais nós acabamos criando um apego maior. E mesmo que eles já estejam ultrapassados ou apresentado defeitos é difícil dizer adeus. Porém, chega uma hora em que isso é inevitável. Caso contrário você acabará se transformando em um eterno acumulador de coisas antigas. Além da questão estética, existe o fator do conforto, que faz com que alguns itens – como colchões e travesseiros -, possuam uma espécie de prazo de validade. Se você prestar atenção em sua casa, certamente saberá identificar aquilo que já passou da hora de ser trocado.

De olho no colchão

É comum as pessoas acreditarem que só precisam trocar de colchão quando o atual estiver em estado de calamidade pública, apresentado diversos tipos de defeitos. Mas, se você quer preservar a sua saúde, não espere tanto tempo assim. Um colchão muito antigo acaba perdendo o conforto e acumulando resíduos de ácaros e outras sujeiras. Seja lá qual for o tipo de colchão que você possui – mola, espuma, látex, ar ou água -, a recomendação geral é que ele seja substituído entre 5 e 10 anos, no máximo. 

 

Fique atento aos travesseiros

Assim como os colchões, os travesseiros também acabam acumulando diversos tipos de impureza durante o período em que são usados, e não adianta tentar deixá-los de molho e lavá-los, existem alguns resíduos que não é possível remover. Como o seu rosto fica em contato direto com o travesseiro durante a noite, é fundamental assegurar-se de que ele esteja em boas condições de higiene, e não adianta alegar que a fronha impede a passagem da sujeira porque você sabe que isso não é verdade. Embora alguns especialistas recomendem a troca dos travesseiros semestralmente, você pode conservá-los por até 2 anos se garantir uma boa higienização da peça.

O adeus ao sofá

O sofá costuma ser um dos itens da casa pelo qual as pessoas mais se apegam. Talvez isso aconteça porque é tão difícil encontrar um sofá que se encaixe perfeitamente na sala que quando o casamento acontece, fica quase impossível o divórcio. A boa notícia é que o sofá possui um prazo maior para ser trocado, podendo ser usado por até 15 anos, a depender da frequência com que você o utiliza e da quantidade de pessoas que costumam frequentar sua casa. Se o sofá for novo, mas estiver com alguns defeitos como partes rasgadas ou pés quebrados, é possível realizar o reparo para que ele possa resistir por mais tempo. Mas se o defeito do sofá estiver relacionado a mau cheiro, manchas e excesso de desgaste, será necessário substituí-lo.

Cuidados com o tapete

O tapete talvez seja um dos maiores vilões do acúmulo de poeira, ácaros e outros resíduos se não for higienizado corretamente. Embora ele possa ter uma vida útil de até 25 anos, é necessário analisar as condições específicas em que o tapete se encontra, observando se muitas pessoas circulam sobre ele diariamente e se ele tem recebido uma limpeza adequada. Se você notar que já não consegue mais remover todas as manchas de seu tapete, ou que ele está com partes rasgadas e danificadas, então já passou da hora de substituí-lo.

Observe os armários de cozinha

O principal aspecto a ser observado para decidir se está na hora de trocar ou não o seu armário de cozinha é o material do qual ele é fabricado. Enquanto um armário de cozinha feito de madeira apresenta uma alta durabilidade, o mesmo móvel feito em MDF geralmente costuma durar metade do tempo, resistindo em média por 10 anos. Por isso, antes de decidir se deve trocar os armários de sua cozinha, analise se eles estão apresentando defeitos como portas quebradas, gavetas emperradas, partes descascando, etc. Lembre-se também de analisar as condições de higiene de seu armário de cozinha, pois as manchas de gordura ou de bolor podem ser um forte sinal de que está na hora de substituir o móvel.

A despedida da máquina de lavar

Cada vez mais, eletrodomésticos estão sendo fabricados com prazos de validade menores, o que faz com que precisem ser substituídos com mais frequência. No caso das máquinas de lavar não seria diferente: a recomendação dos especialistas é que ela seja substituída, em média, a cada 8 anos ou a partir do momento em que ficar mais tempo parada do que funcionando.

Não se esqueça do home office

Para finalizar a sessão de desapego, não poderia faltar o home office. Nesse espaço, 2 palavras são fundamentais: conforto e organização. Por isso, é necessário avaliar se o atual mobiliário atende a esses dois aspectos. De acordo com estudos ergonômicos, as cadeiras do home office precisam ser substituídas em média a cada 4 anos, considerando que sejam utilizadas 8 horas/dia e que recebam uma manutenção semestral. No que se refere à mesa, existem algumas recomendações relacionadas à altura, que deve ser em média de 54 centímetros para pessoas mais baixas, podendo chegar até 74 centímetros para pessoas mais altas. Faça uma revisão em seu home office e avalie se os móveis atuais atendem a esses requisitos ou se precisam ser substituídos.

Post feito em colaboração com o site Habitissimo.

Comentários não estão permitidos.