Minha casa, Minha cara

A França venceu a Copa do Mundo e, por isso, um projeto no país fecha esta curta série de posts em homenagem à mais importante competição de futebol

Cristiane Teixeira

Por: Cristiane Teixeira Fotos: rbrengues photo

Na Rússia, a seleção francesa provou aquilo que já se sabe: misturar jovialidade – como a do atacante Mbappé, de 19 anos – e experiência – como a o goleiro Lloris, de 31 – é uma fórmula que dá certo.

E dá certo também na arquitetura, tanto em relação a quem a pratica como em relação ao que se faz. Hum, ficou confuso? Eu explico melhor e, para isso, tomo como exemplo um projeto assinado pelo escritório Brengues Le Pavec Architectes, a Maison MSR, em Montpellier, no sul da França.

O velho sobrado com três andares, dono de telhados que arquitetos de estilo contemporâneo preferem renegar, foi reformado e modernizado sem perder sua identidade original, como se percebe pelas fotos do antes (abaixo).

 

É uma casa em que dá vontade de entrar e viver, nada além daquilo que os capitães do Brengues Le Pavec buscam, como afirmam em seu website: “O objetivo é criar uma arquitetura verdadeira e viva, libertar-se da ideia de uma atmosfera considerada fria que a arquitetura contemporânea pode criar”.

A lareira foi transferida de uma das fachadas para o miolo da casa e, dessa forma, o projeto conseguiu abrir um extenso vão preenchido por caixilhos de madeira envidraçados. Isso significa mais iluminação natural e maior conexão com o jardim e a piscina – princípios caros à arquitetura contemporânea, é bom lembrar.

Outra característica bem atual é a integração dos ambientes: paredes foram demolidas no térreo, o que possibilitou uma generosa área social com biblioteca, estar, sala de jantar e cozinha.

A cozinha, aliás, é discretíssima, identificada apenas pela coifa e pela grande ilha preta onde pia e cooktop se juntam a gabinetes baixos. Outros armários, assim como geladeira e mais eletrodomésticos, ficam ocultos atrás de portas brancas que vão do chão ao teto.

Os ambientes íntimos também mudaram, mas sem a preocupação de se fazer um banheiro para cada quarto: suíte é só uma, com direito a chuveiro e banheira separados.

Diferentes formas de iluminar – spots embutidos ou sobrepostos ao forro, pendentes, abajures de mesa e de chão, arandelas – mostram seu valor quando a claridade do dia não basta ou quando se deseja criar uma atmosfera ainda mais calorosa e amigável.

E para esse clima aconchegante também contam pontos todos os elementos de madeira presentes na casa. Entre esses, o que mais chama a atenção é o piso, formado por tábuas bem rústicas que um dia revestiram vagões de carga.

 

Da arquitetura para a decoração

Já que a casa de Montpellier foi repaginada sem esconder suas raízes no passado, segui o mesmo critério em minha seleção, escolhendo peças de design retrô que têm forte apelo contemporâneo. E encampei a confortável paleta de tons claros, mas quentes.

  1. Armário aéreo Sabor Caseiro, da MMM
  2. Cadeira Biscoito Fino, da Oppa
  3. Estante Charme, da MMM
  4. Sofá Bump, da Oppa
  5. Almofada de crochê Cobogó, da MMM
  6. Manta com franja Figo, da Oppa
  7. Arandela Lírio Cobre, da Oppa

 

Comentários não estão permitidos.