Minha casa, Minha cara

Os últimos dias de férias escolares são um bom momento para convocar as crianças a dar uma geral no próprio quarto

Micaela Góes

Por: Micaela Góes Ilustração: Colematt 477881781

A essas alturas do mês de julho, quem ia viajar já viajou, os lançamentos infanto-juvenis no cinema se esgotaram e, se não houver uma programação legal para cada dia sem escola, é possível que as crianças estejam transpirando tédio.

Eis a hora de colocar os filhos para dar uma arrumada mais caprichada nas próprias coisas. Além de doarem o que não serve mais, eles vão acabar redescobrindo a graça de brinquedos e jogos esquecidos no fundo do armário. De quebra, a decoração ainda pode ser renovada com pequenas modificações que favorecem a organização.

Para te inspirar, trago algumas soluções que adotei nos dois quartos infantis transformados pelo Santa Ajuda em sua última temporada, aquela gravada na casa ou no local de trabalho dos meus colegas apresentadores do GNT.

IDEIA PARA EXPOR OS LIVROS

Uma estante de parede bem básica resultou neste cantinho fofo no dormitório dos irmãos Iolanda e Lourenço, filhos do filósofo Francisco Bosco, do programa Papo de Segunda. Às vezes a gente fica achando que os móveis infantis devem ser sempre coloridos, mas, aqui, a peça branquinha (Estante Legno Grande, da MMM) era a opção ideal, já que sobram cores nos livrinhos e na luminária de bolinhas enfileiradas. Disposta ao lado do beliche, a coleção oferece histórias mais que bem-vindas na hora do sono.

DUAS IDEIAS PARA AS MOCHILAS

Quando não existe um lugar determinado para as mochilas, elas rolam de um lado para o outro e o resultado é sempre o mesmo: ficam sujas, estragam mais rapidamente e contribuem para que cadernos e livros acabem com as pontinhas dobradas.

Por isso eu sempre encontro um jeito de fixar um gancho para as fieis companheiras dascrianças. No quarto da Julia, filha da atriz Monica Martelli, em vez de um, foi um trio de suportes ao lado da porta (foto acima) – ou seja, quando chega da escola, a menina só precisa dar um passo dentro do ambiente para pendurar não só a mochila, mas também o casaco e acessórios.

Já na casa do Francisco Bosco, os ganchinhos foram parar na peseira do beliche, logo abaixo de um espelho que instalei para as crianças (foto abaixo). O próprio espelho escolhido (Trígono da MMM) oferece como complemento um cabideiro triplo ou uma prateleirinha, como você vê na foto. Então, por que preferi a prateleira Para a pequena Iolanda ter onde colocar um elástico de cabelo, por exemplo, e porque cada gancho do Trígono aguenta até 1 kg de peso – e às vezes as mochilas e bolsas pesam mais que isso.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

TRÊS FORMAS DE ORGANIZAR OS BRINQUEDOS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Crianças que têm um dormitório grande não podem alegar falta de espaço para justificar os brinquedos bagunçados. Mas talvez faltem a elas acessórios que facilitem a organização. E, aí, nada melhor que caixas plásticas – com e sem tampa, dependendo do caso – para ajudar na tarefa.

Para a Julia, eu lancei mão de modelos e tamanhos variados. Na lateral do armário, por exemplo (foto acima), cestos rígidos guardam brinquedos grandes separados por categoria. Como os recipientes são leves e têm alças, a própria menina consegue retirá-los dos nichos e depois colocá-los de volta.

Dentro do guarda-roupa (foto abaixo), algumas prateleiras vazias viraram camarim de boneca, com roupinhas e acessórios organizados em microcaixas de madeira e em cestinhos vazados. Cestos um pouco maiores, mas da mesma linha, serviram para acomodar bolsas e nécessaires.

Como a maioria das pessoas vive em espaços pequenos, a solução que propus para o quarto da Iolanda e do Lourenço é perfeita para ser copiada: distribuir caixas com brinquedos sob a cama (foto abaixo).

A dica é que as peças sejam todas iguais, para que o visual se mantenha uniforme e não passe a sensação de improviso. Recipientes transparentes são melhores, porque a criança logo identifica o conteúdo de cada um. Só vale atentar para um detalhe antes da compra: calcular a altura e a largura disponíveis para escolher o modelo mais adequado.

 

 

E quem disse que criança não rima com organização?! Comprovado!

Beijos,

Mica ♥

 

Já conhece o blog da Micaela? Espie aqui!

Comentários não estão permitidos.