Minha casa, Minha cara

Os arquitetos tiraram o máximo proveito do espaço restrito, mas sem deixá-lo abarrotado de elementos

Cristiane Teixeira

Por: Cristiane Teixeira Fotos: Maíra Acayaba (cedidas pelo Estúdio BRA)

Apê de 38 m²

Pergunte ao arquiteto Rodrigo Maçonilio qual é o principal truque para fazer um imóvel pequeno não parecer tão pequeno assim e a resposta dele provavelmente será: “Não dá para pensar cômodo por cômodo. O ideal é que o piso e os móveis se estendam de um ambiente para o outro, integrando-os. Assim, quem chega faz uma leitura do apê inteiro”.

Esse conceito guiou a reforma e a decoração deste apartamento de 38 m² em São Paulo, um projeto conduzido por Rodrigo e seu sócio no Estúdio BRA, o também arquiteto André di Gregorio.

Eles se valeram de bastante marcenaria sob medida, mas algumas ideias você pode adaptar usando mobiliário pronto e também itens produzidos no velho e bom esquema do faça você mesmo. Vamos conhecer as melhores soluções do projeto?

  1. Elementos baixos ocupam o centro do apê

Com essa regrinha, não há barreiras visuais e o apartamento pode ser visto de uma ponta à outra quando o painel entre o quarto e a sala está aberto.

Por que não fazer igual?! emoji

  1. Elementos altos e coloridos ficam nas extremidades

Já que eles sobressaem pela altura, que sobressaiam também pelas cores! Um armário azul de 5 m de largura se estende da cozinha à lavanderia, enquanto no quarto um bloco verde de marcenaria camufla o banheiro.

  1. Integração da varanda ao interior

A remoção da porta e do trecho de parede, além do nivelamento dos pisos, fez da varanda uma extensão da sala e da cozinha. Nela ficam a área de jantar e a lavanderia discreta – a lava e seca esconde-se atrás de portas de armário e o tanque é de embutir.

Varanda ao interior do apê

  1. Piso único

Foi escolhido um porcelanato com aparência de cimento, bem neutro. Caso a varanda tivesse um piso diferente do da sala, por exemplo, ambos os ambientes pareceriam menores.

Fácil, fácil! emoji

 

  1. Meia-parede

Entre a sala e a cozinha, os arquitetos ergueram uma paredinha solta, com 90 cm de altura e um tampo de pedra de 20 cm de profundidade. “É uma área de apoio para quem está cozinhando”, explica Rodrigo. Além disso, a paredinha protege as costas do sofá e serve como limite para ele.

Ideia simples e fácil de copiar. emoji

Meia-parede entre a cozinha e sala de estar

  1. Prateleira contornando as paredes

Ela tem 30 cm de profundidade, a mesma do armário superior da cozinha. Sua altura foi definida em função da porta do apartamento e do aparelho de ar condicionado. “Ali em cima as pessoas podem colocar o que quiser, de livros e objetos até plantas. É um jeito de aproveitar o espaço com personalidade”, afirma Rodrigo. “E essa ideia as pessoas podem reproduzir facilmente em casa.” emoji

  1. Duas formas de usar espelhos

A parede revestida de espelho traz para dentro do apartamento a vista ampla que se tem do 17º andar. É um respiro e tanto!

Mas há outro espelho, bem menor, que tem função ainda mais estratégica: ele fica na área da cozinha, entre a prateleira e o teto. “É como se fosse um furo, um rasgo: dá a impressão de que há outros ambientes atrás da cozinha”, explica o arquiteto. Vai dizer que não dá para simplesmente fazer igual?!emoji

Maneiras de usar espelhos

  1. Móvel multiuso baixo

Um espaçoso móvel com gavetas, gavetões e até um nicho para bar se estende à frente do sofá e se prolonga na varanda. Baixo, com 45 cm, ele foi pensado para ser usado também como assento, por isso a marcenaria foi reforçada a fim de resistir ao peso extra. Na parte interna traseira, o móvel conta com tomadas para a TV, as luminárias e outros eletrônicos – o bacana é que os fios ficam escondidos.

 

  1. Escrivaninha compacta

Os arquitetos aproveitaram o corredor de circulação para acomodar uma bancada de trabalho rente à parede espelhada. Graças ao espelho, ninguém fica com a sensação de estar com a cara grudada na parede.

É só copiar! emoji

 

  1. Recamier compacto

Integrado à escrivaninha – com a mesma profundidade e no mesmo acabamento –, há uma espécie de sofá suspenso de madeira, com futons que tornam encosto e assento mais confortáveis.

 

  1. Banco e baú ao mesmo tempo

Na área da varanda, o móvel que vem da sala tem a profundidade (em relação à parede do fundo) reduzida para que vire banco junto à mesa de jantar: um banco com futons, que abre como um baú, guardando ainda mais coisas.

É fácil e rápido, hein? emoji

Banco e baú ao mesmo tempo

  1. Painel de correr

Quando os moradores querem mais privacidade, podem puxar as folhas corrediças que formam um painel divisório entre o quarto e a sala.

Painel de correr

  1. Guarda-roupa e porta de banheiro reunidos em um bloco em L

Em vez de quatro elementos – parede, porta do banheiro, parede e armário –, o espaço conta com um único bloco verde de marcenaria que integra todas essas funções. São menos elementos para chamar a atenção.

 

  1. Cabeceira

O painel ripado branco tem apenas 5 cm de profundidade, o bastante para esconder fios e, ao mesmo tempo, apoiar quadros.

Mais fácil não existe! emoji

Cabeceira

Gostou das ideias? Quero ver você colocando-as em prática!

1 comentário