Minha casa, Minha cara

Ateliê de categoria!

Soluções para deixar o espaço de costura mais funcional.

Micaela Góes

Por: Micaela Góes Equipe Santa Ajuda | MMM

Ateliê de costura reorganizado pelo Santa Ajuda

Nas conversas que tenho com o pessoal da Meu Móvel de Madeira, eu fiquei sabendo que várias seguidoras do blog Minha Casa, Minha Cara pedem ideias para montar um ateliê de costura que seja prático e bonito.

E o mesmo acontece no meu programa no GNT, o Santa Ajuda! Tanto que no primeiro episódio da nova temporada, que estreou em 8 de agosto, eu e a minha equipe ajudamos mãe e filha a transformar um ambiente totalmente caótico, com menos de 10 m², em um ateliê impecável, onde as duas fazem acessórios de patchwork.

Ao contrário do que faço normalmente, nesse caso eu precisei substituir todo o mobiliário para conseguir tornar funcional o espaço da Cristina e da dona Alice, uma senhorinha fofa de 92 anos. Entre as centenas de opções da Meu Móvel de Madeira, encontrei alguns modelos que atenderam plenamente o que eu precisava.

Minha proposta foi trocar uma bancada enorme, onde a bagunça só se acumulava, por uma mesa menor, a Escrivaninha Duna, com 1,20 m de frente. O bacana desse móvel é que ele conta com duas gavetas espaçosas, já divididas ao meio. Para melhorar a setorização, destine uma gaveta aos itens de escritório e a outra aos de trabalho – como alfineteiro, acessórios da máquina de costura etc – e organize-as internamente com divisórias para talheres, por exemplo.

Os materiais que são necessários a todo momento precisam ficar fáceis. Por isso, o que não couber nas gavetas pode ir para prateleiras e painéis fixados acima da mesa. Na casa da Cristina e da dona Alice, eu transformei uma calha para quadros, a Prateleira Brisa em uma canaleta para caixinhas transparentes e vidros cheios de botões. Também lancei mão de um Painel Pegboard e pendurei ali as tesouras e carretilhas.

Micaela Góes mostra como organizou rolos de linha no porta-toalhas de um armário

Como eu adoro dar novas funções a móveis e acessórios, trouxe para o ateliê um armarinho normalmente destinado a banheiros e cozinhas, o Armário de Parede Doçura. Nas pequenas superfícies eu acomodei mais caixinhas de botões e, no varão para a toalha, coloquei rolos de fitas e de linhas de crochê. Parece até que o armário nasceu para isso!

E já que a bancada grande foi embora do quartinho, instalei uma peça que só ocupa espaço quando está em uso: a Mesa Quadro Picture. No dia a dia, esse modelo retrátil fica preso contra a parede e oferece uma lousa para anotações. Na hora de cortar os tecidos, é só destravá-lo e apoiar os pés no chão para ter uma superfície de 0,70 x 1,06 m.

Mesa retrátil picture

Além desses móveis, também equipei o ateliê com armários, onde ficam os estoques de tecidos e aviamentos – todos separadinhos, tá?! Uma prateleira comprida, no alto, reúne mais caixas de tecidos (aqueles menos usados) e um Gaveteiro Delta guarda a produção da Cristina e da dona Alice.  

Caixas e cestos organizam tecidos dentro de armário

Como foi a escolha dos móveis do ateliê?

A escolha dos móveis, como você sabe, vai depender das dimensões do seu ateliê, mas aqui você tem uma “receita” para adaptar à sua situação. O importante é entender que a organização começa pela setorização. Se ambas forem bem planejadas, você terá um espaço que oferece bem-estar e seu tempo renderá muito mais.

Gostou das dicas de hoje? Tem mais dúvidas? Escreva pra mim.

Nos reencontramos em duas semanas! Mas até lá… Que tal ler o último post da minha coluna aqui?! Vem!

Beijos,
Mica ♥

 

1 2 3 373

Uma casa que gira

Sete andares, 1400 m², US$ 9 milhões gastos no projeto e na construção da Sharifi-ha House. Os números que contam…

Sala com varanda gourmet

Desde o surgimento da ideia de acoplar a sala e o espacinho da sacada, nós comentamos o quanto isso pode…

Ateliê de categoria!

Nas conversas que tenho com o pessoal da Meu Móvel de Madeira, eu fiquei sabendo que várias seguidoras do blog…