Minha casa, Minha cara

Cristiane Teixeira

Por: Cristiane Teixeira Fotos: Matthew Millman.

Acolher quem degusta a bebida em meio às vinhas do Napa Valley, nos Estados Unidos, é o propósito deste pavilhão

Pavilhão da Quintessa com portas abertas para o Napa Valley, no fim da tarde

Desfrutar de um vinho pressupõe sensibilizar os sentidos. Antes mesmo do paladar, o olfato é demandado, assim como a visão, todos voltados para a bebida e para o que dela se desprende. Com a sensibilidade aflorada, abaixamos a guarda para o que está ao nosso redor. E é aí que entram a paisagem natural e a construída, ou melhor, a arquitetura, uma associação de materiais, formas e cores pensada para nos abrigar em diferentes momentos.

Esta ideia me ocorre ao observar os terraços especialmente projetados para a degustação do vinho na propriedade de 280 hectares da vinícola Quintessa, no estado norte-americano da Califórnia.
Mesas e bancos prontos para receber degustadores de vinho na Quintessa

Cuidadosamente instalado entre as árvores de carvalho existentes, cada pavilhão de 25 m² foi projetado para prover uma completa experiência sensorial —imersa no cenário apaixonante das vinhas. A paleta de cores e os materiais escolhidos para a proposta ganham charme redobrado com a ação do tempo e do clima.
Carvalhos se misturam com os pavilhões da Quintessa

No projeto concebido pelo escritório Walker Warner Architects, as estruturas pré-fabricadas de metal juntam-se a uma parede delgada de concreto, a muros de pedras da região e a forros de cipreste para proteger os visitantes do frio, do sol e da chuva, enquanto paredes móveis de vidro maximizam a entrada de luz e a ventilação cruzada, também ampliando o alcance da visão para o exterior.
Sob o beiral do Quintessa Pavilion avistam-se o rio e as videiras

Situada no coração do Napa Valley, ao norte de San Francisco, a região é conhecida como uma das mais densas áreas vinícolas do mundo, com mais de 500 produtores. O litoral próximo expõe os vinhedos a névoa e brisa, o sol está presente quase todo o ano e o solo diversificado contribui com areia, argila, granito, cinzas vulcânicas, matéria do fundo do mar e cascalho, numa combinação que se traduz em uma variedade grande de terroirs – a soma dos fatores que influenciam as características do vinho produzido em uma região, tornando-o único.
Portas de vidro deslizam e giram para manter o pavilhão da Quintessa aberto ou fechado

Mike McCabe, diretor do Walker Warner Architects, aponta: “Como em todos os nossos projetos, os Quintessa Pavilions incorporam nosso credo na conexão essencial do design com seu contexto, particularmente a natureza”.

Da arquitetura para a decoração

Ter um cantinho agradável para degustar vinhos passa por escolher onde guardá-los. As adegas climatizadas se popularizaram, mas eu ainda mantenho minhas garrafas em temperatura ambiente.
Para quem imagina fazer algo semelhante, aqui vão algumas ideias.

Cristaleira Garbo: não é a primeira vez que seleciono este móvel. Eu adoro o desenho dele, as cores, as gavetinhas internas. Para os que desejam montar um bar, esta é uma opção completa, com espaço para garrafas de vários tipos de bebidas, copos, taças e acessórios.

Cristaleira Garbo

A Adega Compacta Charme reúne em uma peça retrô 12 nichos para manter os vinhos na horizontal, como advogam os conhecedores.

Adega compacta Charme

Para um bar mais modesto – nas dimensões, mas não na qualidade! –, conte com a elegância e a versatilidade o Aparador Mezuri.

Aparador Mezuri

Você já tem o móvel, mas precisa acondicionar os vinhos de forma segura dentro ou acima dele? O Porta-Garrafas Legno é a solução. Cada kit vem com duas espécies de prateleiras – é possível empilhar até dois kits.

Porta garrafas Legno Cru

Sobre o Aparador de Parede Continuum você pode organizar as bebidas e, em seu interior, os copos.

Aparador de parede continuum

Agora, vou aproveitar que já encerrei o trabalho e a noite caiu para degustar uma taça de vinho tinto. Tintim!

2 Comentários