Minha casa, Minha cara

Em vez de terraço e lavanderia abertos, agora o apartamento tem sala e cozinha independentes do quarto. Veja as fotos do antes e do depois

Cristiane Teixeira

Por: Cristiane Teixeira Fotos: Divulgação

A área coberta e fechada media apenas 24 m². Uma varanda/área de serviço compunha outros 15 m² e ainda havia um terraço ao ar livre de 12 m². Tudo isso no 17º andar de um edifício recém-construído em São Paulo. Eis que, eliminando-se uma porta e utilizando-se vidro para erguer um telhado e fechar alguns trechos da fachada, os espaços foram integrados e seu uso, reinventado.

Nosso cliente é um investidor. Ele queria que o estúdio fosse confortável tanto para um solteiro como para um casal.” É o que conta a designer de interiores Lome Chung, que comandou a reforma com Paulo Brites, seu sócio no Icono Projetos e Interiores.

Como o objetivo era acabar com a sensação de aperto, os profissionais focaram no aproveitamento de cada centímetro. Nem por isso viraram o compacto apê do avesso, o que levaria a gastos mais elevados. Ou seja, em nome da relação custo-benefício, a entrada continua sendo pelo quarto.

Acompanhe as interferências que modificaram o uso do espaço no estúdio

1. Saiu a pia de cozinha que ficava dentro do dormitório, entrou um home office

A copinha no quarto era uma das opções oferecidas pela construtora. Mas Lome e Paulo preferiram fazer do cantinho um espaço multiuso: a bancada do computador também comporta a TV. De frente para os equipamentos, a dupla encaixou um sofá compacto.

2. As portas de correr que isolavam a área externa desapareceram

As três folhas e os caixilhos nos quais elas deslizavam foram eliminados, porém o vão diminuiu um pouco. À direita, isso serviu para camuflar a geladeira instalada no ambiente vizinho. À esquerda, para abrigar o sofá e ampliar a parede que acolheu a bancada da cozinha.

3. Vidros completaram a varanda/área de serviço

Para fechar o vão na fachada, foi preciso seguir o padrão definido pela convenção do condomínio. Daí os caixilhos de alumínio preto e os vidros móveis que se recolhem num dos cantos da abertura. Agora esta funciona como uma janela qualquer.

4. Onde antes ficariam tanque e lavadora de roupas, hoje existe uma cozinha completa

Prolongando uma parede, os profissionais encontraram lugar para uma bancada de 2,50 x 0,65 m que delineia a cozinha. O tampo de granito preto são gabriel embute cuba e cooktop. Abaixo dele, a marcenaria divide espaço com o forno. Acima, há mais armários, micro-ondas e uma coifa, fixados contra o fundo de pastilhas azuis.

5. Uma divisória de drywall ao lado da geladeira camuflou o tanque

Como o prédio oferece uma lavanderia de uso coletivo, não se desperdiçou espaço com máquina de lavar roupa nem varal. Mas os designers incluíram um tanque na ponta da cozinha. “Assim, durante a faxina, é possível lavar os panos e utensílios de limpeza ali e não na pia, o que não é muito higiênico”, justifica Lome. Para o tanque não ficar tão em evidência, foi erguida uma paredinha entre ele e o refrigerador.

6. O antigo terraço ao ar livre virou sala ao receber uma cobertura de vidro e fechamentos laterais

Lome e Paulo, em parceria com um vidraceiro, desenharam a cobertura, que foi aprovada pelo condomínio e se tornou padrão para o edifício. Levemente inclinada, a estrutura de alumínio preto com placas de vidro laminado não acumula a água da chuva. Repare que um trilho para spots de luz foi fixado no perfil central da cobertura.

As duas generosas aberturas nas paredes se converteram em janelas idênticas à da cozinha. Assim protegida, a área acolheu uma mesa de jantar para quatro pessoas e ambiente de estar.

Nada de desperdício: o que estava bom permaneceu inalterado

Perfeito para economizar espaço, o banheiro tem duas paredes de vidro e uma porta de correr do mesmo material. Ou seja, fica igualzinho a um grande boxe! A privacidade é assegurada pelo acabamento jateado dado às placas. “Melhor ainda seria adesivar as lâminas para que a sombra de quem está dentro não apareça quando a luz é acesa, à noite”, ensina a designer de interiores.

Lome e Paulo mantiveram a solução e só incluíram no ambiente um boxe com portas articuláveis. O lavatório, que fica do lado de fora, já contava com a bancada de granito preto são gabriel. Mas tornou-se mais funcional complementado pelo gabinete inferior e pelo espelho que vai até o teto.

Entregue no contrapiso, o quarto recebeu réguas de porcelanato no padrão madeira. “É uma forma de trazer aconchego, sem abrir mão da manutenção fácil”, afirma Lome. No restante do apê, conservou-se o porcelanato cinza existente. Apenas os rodapés cerâmicos da antiga área externa foram trocados. Em seu lugar, entrou um modelo mais alto e elegante, de poliuretano branco, o mesmo instalado no quarto.

Um painel amadeirado delimita o canto do home office. Ali, a bancada repete o acabamento grafite de todos os itens de marcenaria. No armário, a cor se restringe às laterais, pois as portas de correr são espelhadas a fim de fazer o espaço parecer maior. Já a cabeceira da cama foi montada com MDF branco, que sobressai graças à pintura cinza das paredes.

Reformado, equipado com eletrodomésticos e decorado, o apartamento de 51 m² não demorou muito para ser alugado. Prova de que valeu a pena incorporar a área externa ao interior, fazendo o espaço útil dobrar.

2 Comentários

  1. Uau! Que bom que gostou do conteúdo, Cleriston! Esperamos que você volte mais vezes e aproveite sempre!
    Um abraço, do tiMMMe