Minha casa, Minha cara

Nesse momento em que a cidade americana promove a sua Semana de Design, eu apresento o The Bryant, um dos novos marcos no skyline de Manhattan

Por Cristiane Teixeira
Imagens Miller Hare, cortesia de HFZ Cap

The Bryant e Empire State Building
Ele não está na relação das torres mais altas do mundo, mas integra outra lista tão célebre quanto: a dos luxuosos edifícios nova-iorquinos projetados por alguns dos mais famosos arquitetos do mundo. Neste caso, a assinatura é do inglês David Chipperfield, que em 2011 conquistou o Prêmio Mies van der Rohe de Arquitetura Contemporânea, um dos mais importantes do segmento.
Pelo que foi noticiado, o prédio de 34 andares receberá no outono seus primeiros ocupantes. Até o 15º andar, os espaços foram destinados a um hotel com 215 quartos. Daí para cima, são 57 apartamentos, sendo dois deles tríplex. Mesmo a menor das unidades, com um quarto, é investimento para milionários: está sendo vendida por US$ 2,57 milhões. Quer saber o preço do tríplex, mostrado na imagem abaixo? Impressionantes US$ 16,3 milhões.

Tríplex The Bryant
As vistas são de tirar o chapéu, já que o The Bryant ergue-se em um dos pontos mais nobres da ilha, o Bryant Park, 9 acres de área verde entre a 5ª e a 6ª Avenidas, vizinho de ícones como a Biblioteca Pública de Nova York, com suas colunas clássicas, e o American Stardard Building, dono de fachadas de tijolos escuros e detalhes dourados. The Bryant, Biblioteca Pública de Nova York e American Standard Building
Avesso à chamada arquitetura do espetáculo, David Chipperfield elaborou um projeto que se soma aos arredores em vez de dominá-los. A fachada revela três diferentes partes: uma base larga de cinco andares, a torre mais estreita e o topo levemente recuado, onde ficam os tríplex.Maquete da fachada principal do The Bryant
O tratamento visual e construtivo do conjunto é o mesmo: um quadriculado bem marcado, que articula colunas e terraços pré-fabricados, feitos de concreto com partículas de mármore e arenito. Guarda-corpos metálicos se colocam entre as colunas. Atrás, veem-se caixilhos de alumínio anodizado que vão do piso ao teto, fechados por vidro. Simples assim.

Da arquitetura para a decoração

Assim como edifícios nascem de um traço limpo e eficiente, o mesmo pode acontecer com móveis. Isso só prova que a sofisticação do design reside, muitas vezes, em sua aparente simplicidade.
Um exemplo é a Estante Nativa, com oito nichos para acomodar os mais variados itens. Versátil, a peça pode ser disposta na vertical ou na horizontal.

Estante 8 nichos Nativa

A Estante Tools une às linhas retas seis caixas organizadoras que funcionam como lousa e aceitam giz.

Estante com caixas organizadoras Tools

Mesclara preto e madeira dá um ar mais elaborado à Estante Garbo, uma peça que vai bem em salas, cozinhas, home offices…
Estante Garbo

No Rack Aspen, o mix é de branco e madeira.
Rack Aspen Garapa
E se você quiser criar as suas próprias composições, pode lançar mão do Módulo Continuum, de 41,5 x 41,5 cm. Junte quantas peças quiser, de acordo com o espaço disponível.
Módulo Continuum pequeno

Boa semana!

Comentários não estão permitidos.