Minha casa, Minha cara

Na República Tcheca, mais de 900 assentos plásticos cobrem o exterior deste show room de móveis para escritório e escola

Por Cristiane Teixeira
Fotos Lukas Pelech

Cadeiras na fachada frontal de cima a baixo

Nesta semana, talvez esta coluna devesse ter seu nome invertido e chamar-se ‘Da Decoração para a Arquitetura’. Provando que a inspiração pode vir das mais diferentes fontes, os jovens arquitetos do estúdio tcheco Chybik + Kristof encontraram no mobiliário a grande sacada para este projeto arquitetônico único.
A solução criativa respondeu à encomenda feita: “Façam barato e, de preferência, de graça”. O pedido do cliente, um fabricante de móveis, referia-se à reforma de um edifício térreo erguido nos anos 90 em Vinohrady – distrito de Brno, segunda maior cidade da República Tcheca –, em uma área próxima a rodovias e sem atrativos arquitetônicos.
Com interferências mínimas no exterior da construção, o time encabeçado por Ondrej Chybik e Michal Kristof criou uma fachada escultural que custou muito pouco e ainda faz referência direta à categoria dos produtos exibidos no espaço interno. E, claro, uma fachada que causou extrema curiosidade na vizinhança.
“Usamos um modelo básico de cadeira, mas pedimos a versão de plástico granulado preto, adequada a uso externo, já que resiste a diferentes condições climáticas, especialmente aos raios UVˮ, explicam os autores do projeto. Cada unidade saiu pelo equivalente a R$ 11. Como precisaram de pouco mais de 900 peças para cobrir três lados do showroom de 550 m², os arquitetos gastaram R$ 10 mil na tarefa.

Vista de uma das laterais e da frente do show room em meio à neve.

A textura abstrata que tomou conta do prédio antes sem graça resulta da fixação dos assentos – livres das pernas – em perfis de aço instalados nas paredes. É possível retirar as peças para manutenção e para lavagem da fachada com limpadoras de alta pressão.
Por dentro, a remodelação pautou-se pela economia igualmente. Após a demolição de todas as divisórias e a execução de algumas outras, surgiu uma grande área de uso flexível, onde se destacam três espaços circulares. Delimitados apenas por cortinas, eles deixam à vista os móveis da marca.

móveis são expostos em espaços circulares envoltos por cortinas.

Da arquitetura para a decoração

Não estou propondo que ninguém troque tinta por cadeiras no acabamento da casa, hein?! Eu decidi apresentar este projeto de Brno porque ele mostra como soluções simples, baratas e rápidas às vezes podem ser as melhores. E isso é uma baita inspiração!
A fachada pra lá de diferente ainda me dá gancho para falar de uma peça que nos acompanha ao longo de todo o dia, em casa, no transporte, no trabalho, na escola ou no lazer: a cadeira.
Assim como há arquitetos que adoram projetar escadas, existem designers apaixonados por desenhar cadeiras. A razão, imagino eu, está no fato de ser um móvel aparentemente simples, mas que precisa ser funcional e confortável – se não for assim, não serve. Cadeira é tudo igual, então? Não! Dê uma olhada em cinco versões que separei.
O modelo Apê é enxuto em suas linhas retas. De pínus, vem em tom de madeira ou em cinco cores pintadas.

Cadeira ape

A Trim também é retinha, mas repare como encosto e pernas se diferenciam do modelo anterior. À venda em três cores e em tom de madeira.
Cadeira Trim

Opção mais retrô, a Charme tem encosto com cantos arredondados e pode vir inteira em madeira ou combinando com amarelo pálido.

Cadeira Charme

Há, ainda, a confortável Grace, com encosto e assento esfofados – esse tipo de cadeira é perfeito para longas conversas à mesa de jantar. À venda em pares, nesta cor e em cinza clarinho.

Cadeira Grace

A Villa, feita de eucalipto, é dobrável, ideal para levar até a varanda durante um churrasco, por exemplo. No dia a dia, pode ficar dobrada e guardada sem ocupar quase nenhum espaço.

Cadeira Dobrável Villa

Por hoje, é isso. Até o próximo post!

Deixe seu comentário ;)